Uma das metas traçadas pela coordenação ampliada do Projeto, para 2014 foi uma visita de monitoramento e avaliação de todos os grupos acompanhados.

Foram realizadas as visitas em 13 grupos incluindo a formação. Os grupos de Oriximiná, Alenquer e Vila Franca além da visita tiveram também espaços para estudos.

Foram trabalhos intensos, muitas viagens, mas com a convicção de que a visita aos grupos em suas comunidades é de grande ajuda no processo de organização.

As reuniões da coordenação ampliada foram espaços muito importantes no processo de caminhada e compreensão da Missão e Objetivos do Projeto.

Com tantos grupos acompanhados, não seria possível acontecer o processo sem a participação dos agentes representantes dos grupos. Foram realizadas partilhas de experiências, tomadas decisões e feito planejamentos. Neste ano aconteceram quatro reuniões da coordenação ampliada, de onde os integrantes dialogaram sobre os avanços e os desafios dos grupos:

Os avanços realizados, segundo essas pessoas foram:

– As curas realizadas pelos Agentes Populares de Saúde. Os resultados foram ótimos;

– As etapas de formação, a perseverança dos grupos;

– O voluntariado, mantido com alegria e entusiasmo por parte de todos;

– A unidade entre os grupos, onde o diálogo é cultivado;

– O esforço de trabalhar em conjunto dos grupos de Santarém, abraçaram a proposta do PBB e da Pastoral como missão;

– O vasto conhecimento e utilização dos Florais e da Homeopatia por todos os grupos;

– Os trabalhos feitos em parceria;

– Os cursos e encontro para aprofundamento em Homeopatia na agroecologia;

– O cultivo sempre crescente da cultura da troca de experiência entre os membros dos grupos;

– A responsabilidade de todos os membros dos grupos em pagar em dia o material adquirido, permitindo a formação do caixa comum do Projeto;

– A dedicação da Adma (secretária) na prestação dos serviços voluntário á secretaria do Projeto;

– A integração do grupo de Medicilâdia, Santa Luzia/MA e Piripiri/PI ao Projeto;

– O apoio financeiro dado pelo Instituto Transformar Cuidando e pela Fundação The Twelve Healers Trust, para o desenvolvimento das atividades.

Por outro lado, os grupos sabem dos desafios:

– Saúde pública precária e a dificuldade dos grupos de interferir como gostariam;

– A corrupção envolvendo dinheiro destinado à saúde pública;

A falta recursos financeiros disponível para responder as necessidades dos grupos em seus locais de atuação social;

– As longas distâncias e dificuldades tanto pelos rios, como por terra para chegar aos grupos e os grupos ao centro;

– As dificuldades de comunicação;

– A Falta de apoio seguro para desenvolver os trabalhos, estando os grupos vulneráveis quando há troca de padres;

– A grande luta pela sobrevivência, tornando as pessoas com pouco tempo para o trabalho voluntario.

Segundo Ir. Marialva, coordenadora geral do projeto:

“Ao concluir o ano de 2014, verifica-se que todas as atividades previstas foram realizadas. É gratificante observar os grupos animados e acreditando que vale a pena a caminhada feita e querem continuar. Sentimos que juntos, as dificuldades são melhores vencidas e a vida cultivada. A marca dos grupos de saúde, sempre foi e continua sendo a dedicação, amor ao próximo e espírito de partilha. Nestes 05 anos, desde o inicio do Projeto Beth Bruno, ao olhar para trás se percebe um longo caminho feito, até maior do que se esperava. A seriedade de cada membro dos grupos que direta ou indiretamente faz parte da caminhada. Por trás de cada homem e cada mulher que se coloca a serviço e cuidado da vida, há tantos outros que colaboram, aplaudem, agradecem pela ajuda recebida no momento da doença de alguém de sua família ou por uma novo aprendizado. Só nos resta dizer a Deus muito obrigado por nos permitir fazer parte desta grande nobre missão – Cuidar da Vida.”

Galeria de fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado