Diretora do Instituto visita os agentes de saúde do Projeto Beth Bruno, no Pará

porst1_outubro

Entre os dias 11 e 22 de novembro, Luciana Chammas, coordenadora do Projeto Beth Bruno – gerenciado pelo Instituto Transformar Cuidando – visitou diversos municípios do Pará, onde o Projeto está atuando, acompanhada da jornalista Keila Bis, responsável pela área de comunicação, e de irmã Marialva Costa de Oliveira, coordenadora do Projeto. O propósito da viagem foi saber quais são as dificuldades e necessidades dos agentes de saúde, tirar dúvidas, confraternizar, dar suporte ao desenvolvimento do trabalho que vem sendo feito e registrar a evolução de cada grupo.

 

Por Keila Bis

 

Ananindeua

A viagem teve início em Ananindeua, onde se hospedaram na Casa Madre Alphonsa, residência das Irmãs Franciscanas de São José, recepcionadas pelas irmãs Marinete, Regina e Rosana. Nos dois dias de estadia, se reuniram para conversar sobre os desafios, entre eles, o grande número de  pessoas que procuram a ajuda das irmãs. “Às vezes, há somente uma pessoa para atender. Fico preocupada com o restante que está esperando do lado de fora”, disse Marinete. Luciana explicou que, nesse caso, principalmente nos atendimentos de escuta, como a terapia floral, onde as sessões podem ser mais longas, é importante avisar que os atendimentos serão mais curtos. Dessa forma, quem está esperando e quem está sendo atendido pode se organizar melhor.Outro assunto abordado foi a violência doméstica e depressão que muitos relatam às irmãs. Foi falado, então, sobre as causas desses distúrbios e como prestar ajuda. As irmãs compartilharam também os inúmeros casos de cura pelo biomagnestismo – uma das terapias mais procuradas -, pela terapia floral, pelo método bioenergético e pela fitoterapia. O grupo falou também sobre meditação e o quanto ela é um recurso importante a ser introduzido nos atendimentos.

ananindeuaIrmã Lindalva, de Piripiri, no Piauí, outra localidade onde o Projeto está instalado, enviou vídeos de pessoas dando o seu testemunho de cura emocional e física por meio dos florais e da fitoterapia. Além disso, irmã Lindalva enviou o balanço do número de atendimentos. Em 2013, foram feitos 90 atendimentos. Até outubro deste ano, foram 165. Grande sucesso!

Luciana conheceu também o aconchegante local onde os atendimentos são feitos e as homeopatias, florais e remédios naturais são preparados e vendidos à população.

 

Itaituba

O segundo local visitado foi Itaituba, lindo município às margens do rio Tapajós. A partir daí, Luciana e Keila passaram a ser acompanhadas de irmã Marialva Oliveira Costa, coordenadora do Projeto.

O encontro com o grupo aconteceu na Pastoral da Saúde, onde a população é atendida e foi formado por: Sandra, Taniitaitubaa, Elci, Stefani, Leonardo, Maria Luiza, Josinete, Claudinete, dona Ana, Jacinta, irmã Marialva e Luciana.

Os agentes falaram bastante sobre a alegria que sentem em receber a população que chega triste e doente e sai feliz e animada. Luciana apresentou o Projeto contando que ele é a realização de um sonho. “Os florais são remédios para a humanidade e por isso quis que chegassem a todos. A Healing Essências Florais tem no seu DNA a responsabilidade social.”. Foi apresentado, então, o vídeo que conta toda a história do Projeto Beth Bruno.

 

Veja em: https://www.youtube.com/watch?v=dKUQ7y_mvpQ.

Os agentes falaram sobre os problemas emocionais mais comuns das pessoas atendidas e o grupo discutiu, então, a importância dos florais para tratar das emoções.

Luciana apresentou ao grupo o projeto Escolhas, lançado este ano pela Healing Essências Florais, onde histórias de vida são mostradas, em vídeo, ilustrando as virtudes ligadas aos florais de Bach. Veja em: https://www.youtube.com/watch?v=I6q8XQpjP1A&feature=youtu.be.

 

Trairão

trairao1Em Trairão, município próximo à Itaituba, os padres missionários Lalo e José Boeing, vêm introduzindo o Projeto Beth Bruno. Na Pastoral da Saúde, algumas pessoas já receberam, por exemplo, os ensinamentos sobre o preparo de cremes, xaropes e sabonetes feitos com ervas medicinais, compartilhado por Luciene, Vera e Rita (equipe de Santarém, participante do Projeto Beth Bruno).

O grupo foi formado por: Edi, Dayana, Worlenta, Alexandre, Janaina, Jarcilene, Francisca, padre Lalo, irmã Marialva e Luciana.

Durante a reunião, Luciana apresentou o Projeto, explicou o que são os florais, como são feitos, o que trata e como são tomados. Explicou sobre a importância do estado emocional na nossa saúde. “Se eu fico nervosa, posso ter dor de estômago, dor de cabeça. Então, é preciso trabalhar no emocional. Há muita conexão entre a saúde mental e emocional”. O grupo passou, então, a refletir sobre a dependência criada com os remédios psicoativos e como a homeopatia popular, a terapia floral e a fitoterapia podem ser de grande valia enquanto terapia complementar. Como participaram da reunião dois jovens, Janaina e Alexandre, foi falado também sobre a necessidade do Projeto agregar também as novas gerações.

 

Santarém

saoraimundo

 

Na Pastoral da Saúde da Paróquia de São Raimundo, Rita, Adma e Maria José apresentaram o novo espaço para Luciana. É lá que elas recebem pessoas à procura de cremes, xaropes e sabonetes produzidos com ervas medicinais e fazem o encaminhamento ao Grupo Conquista de Ervas Medicinais (GCEM) quando há a necessidade de se fazer a terapia floral ou o uso de homeopatia popular, por exemplo.

 

 

No final de semana, um amplo grupo se reuniu no GCEM para compartilhar suas experiências. Os agentes vieram de Alenquer, Oriximiná, Monte Alegre e da comunidade de Menino Jesus, em Santarém mesmo.

Algumas das pessoas que participaram: Lenice, Luciene, Regina, Adma, Vera, Fernanda, Rita, Maria José, Dioneia, Maroca, Virlandi, Lucilene, Maria Antonia, Maria Cleoci, dona Edna, Lecilene, Lenne, irmã Marialva e Luciana.

emaus

O grupo falou sobre as dificuldades que têm encontrado, os maus tratos com o meio ambiente do local onde vivem, o sucesso da homeopatia no solo que muitos agricultores vêm aderindo e o grandes desafios emocionais das pessoas que atendem.

 

Padre José Gross, que catalogou centenas de plantas medicinais desde que chegou no Pará, vindo da Alemanha, visitou o grupo que aproveitou para parabenizá-lo pelo aniversário e acolher suas palavras: “Precisamos cuidar das plantas que Deus nos deu. Eu nunca vou deixar de cuidar das plantas medicinais.”

Conduzido por irmã Marialva, o grupo fez uma longa meditação de vivência com as plantas no amplo e diversificado jardim. Luciana apresentou a Blossom Educação em Terapia Floral, um centro de estudo e pesquisa online, e convidou a todos que participassem.

Nesse encontro, ficou confirmado também o próximo encontro que acontecerá em Emaús, em Santarém. Nos dia 31 de maio e 1º de junho de 2017: Encontro dos Multiplicadores. E nos dias 2 e 3 de junho: Cuidando dos Cuidadores.

 

Placas

Em Placas, Luciana conheceu o posto de saúde alternativa Farmácia Viva, inaugurado em 2016. O posto integra o projeto ‘Cuidando da Vida no Bioma Amazônico’, apoiado pelo Fundo Dema.

placasAs agentes de saúde que cuidam do espaço – entre elas, irmã Marialva – e participaram do encontro foram: Noemi, dona Neide, Marlene, Inês, Joceleni, Juvelina, Marialva e Luciana

Luciana conheceu a linda horta repleta de verduras e plantas medicinais criada com o objeto de ser um experimento do cultivo livre de agrotóxicos, implementando todos os saberes da homeopatia no solo e do cultivo orgânico.

O grupo contou a história do espaço, como foi construído, os atendimentos que vêm sendo feito com biomagnetismo, bioenergético, homeopatia popular, fitoterapia e terapia floral. Marialva aproveitou para acertar com elas os últimos detalhes do encontro que acontecerá no local, no início de dezembro, quando Marialva fará o curso de homeopatia popular.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado