Entre os dias 1o. e 10 de abril, os coordenadores do Projeto Beth Bruno e uma equipe de profissionais da saúde realizaram uma visita a comunidades indígenas e ribeirinhas ligadas ao Projeto Beth Bruno.

As visitas a esses grupos tinham os seguintes propósitos:
. Sensibilizar a população local sob conceitos de saúde e doença e as práticas complementares, desenvolvendo um olhar mais amplo do ser humano;
. Acompanhar os grupos que receberam formação no Projeto e que estão cuidando de suas comunidades com as práticas terapêuticas abordadas durante a formação e;
. Realizar atendimentos na comunidade.

Viajando em uma embarcação da Congregação do Verbo Divino, o grupo visitou comunidades distantes 16 horas de Santarém, e que se localizam às margens dos rios Arapiuns e Maró.

A primeira comunidade a ser visitada foi Cachoeira do Maró.

Nessa comunidade, que possui, aproximadamente, 120 famílias, o grupo fez atendimentos com Homeopatia Popular, Massagem, Fitoterapia e Florais de Bach.

Em paralelo, foram realizadas oficinas com agentes de saúde, lideranças comunitárias e professores. A ideia era refletir sobre a saúde e entender as questões emocionais que mais aparecem na comunidade.

Ao todo, foram feitos 72 atendimentos entre Florais, Homeopatia e Massagem.

A Comunidade de Novo Lugar também recebeu a visita do grupo. Nesse local não foram realizados atendimentos, mas o grupo pôde conhecer o contexto e pensar em soluções que pudessem ajudar os agentes de saúde em seu trabalho comunitário. Além disso, o grupo visitou o espaço que está sendo construído pela comunidade para receber os atendimentos no futuro.

Depois de 3 dias de trabalho, a comitiva partiu para a comunidade de São Pedro.

Nessa comunidade, o grupo de terapeutas teve a oportunidade de realizar mais de 75 atendimentos entre todas as práticas propostas.

Foi feita uma reunião com os responsáveis pelo Posto de Saúde da comunidade, com o propósito de discutir as principais queixas da população e encontrar meios de uma atuação conjunta.

Encerrados os atendimentos, Ir. Marialva realizou oficinas com os agentes de saúde, para sanar dúvidas e fortalecer o grupo.

Se por um lado as comunidades se sentiram prestigiadas pelas visitas, os coordenadores tiveram a possibilidade de entender o contexto em que os agentes atuam.

Dessa maneira, o Projeto Beth Bruno potencializa sua participação junto a essas populações em ações que valorizam saberes, fortalecem o capital humano e geram conhecimento que proporcionam um enorme ganho às comunidades.

Galeria de fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado